quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

Matilde sem H


A minha gravidez da Mathilde teve um lado muito caloroso que se deveu às inúmeras manifestações de carinho por parte dos ouvintes da rádio onde fazia o Programa da Manhã, a Best Rock FM.
Desde o dia em que anunciámos que eu estava grávida até ao nascimento foi, dizia eu exageradamente mas com o coração quentinho, a gravidez mais vigiada de "todó Portugal".
Todos os dias chegavam mails e mails com mensagens carinhosas e recebi presentes que a Mathilde e a Manon usam e abusam.

Um desses presentes esperou até há dois dias para ser apresentado à Mathilde.
Já podia tê-lo feito mas estava arrumadinho na estante, entalado e esquecido entre mais uns tantos livros da mesma colecção que encontrei depois, perdidos no meio da mini-biblioteca do seu quarto.
Ocorreu-me de repente, quando lhe mostrava mais uns livrinhos meus de miúda, antes dela dormir. Passo a vida nisto, ela adora e eu também.

É a "Matilde, quem é?"

Esta menina homónima destronou a "Anita" que, apesar de se manter na sua lista a ler todas as noites, perdeu o protagonismo da cena lullaby diária.
Os livros são mesmo giros e com um guia para pais no final de cada um.
Só me faz confusão ver Mathilde escrito sem H, ao fim de 2 anos e muitos meses habituei-me de tal forma à letrinha muda que me parece que o nome fica despido sem ela.

3 comentários:

Monik disse...

rtetrw

Anónimo disse...

Não é a bem a propósito...mas... MUITOS PARABÉNS MARIA...tenho seguido o que escreves aqui À distância...felicidades para ti e os teus. Um beijo grande.
Rosário

Anónimo disse...

Passei para te dar os PARABÉNS!!!!
Alguém que gosta muito de ti já dos tempos da Comercial!!!
Que saudades!!!!
Beijocas ENORMES para ti e muitas felicidades
Patricia (a do hotel na feira... será que te lembras?!!! Fica o meu mail: pmatos@gmail.com )