quarta-feira, 8 de novembro de 2006

Final feliz


A Mathilde é, na sua realidade circunstancial, cinéfila. Não liga grande coisa à televisão mas filmes, por ela, rodaríam a todas as suas, mais ou menos, 10 horas de vigília diária.

Pessoalmente, julgo a TV embrutecedora, pelo menos a TV actual, não me fascina, logo não lhe presto atenção, uso-a como suporte para as imagens e sons codificados nessa magnífica invenção da humanidade - o DVD.

Sou uma cinéfila em licença de maternidade; antes das meninas, devorava após saborear, mastigar e decompôr, tudo quanto havia no cinema, agora, por enquanto, consumo todos os filmes infantis clássicos e modernos - futuros clássicos (todos todos não, haja algum critério!, que ele há coisas inenarráveis para os miúdos tal como para os graúdos) no conforto do lar.

Sempre adorei contos, fábulas, histórias infantis, nos livros, nos filmes, nos discos, na boca da minha avó, o mundo da fantasia ajudou-me a crescer e continua a maravilhar-me. Ando pois, encantada com a cinefilia Disney-Pixar-Dreamworks-e-outros-que-animam da princesa mais crescida cá de casa (parece que eu sou a Rainha-mãe, ainda não sei bem se acho graça ao título).

A Cinderela faz as suas delícias, é uma menina bonita, tem ratinhos e passarinhos e um gato, o Lucifer, que é Mau!, e a madrasta e as manas feias que são Más! e a fada madrinha, Salagadoola mechicka boola bibbidi-bobbidi-boo, e o príncipe! "A Cindiela a dançar com o prínce!" é um momento crucial, e é mesmo, de facto.
- Um dia também vais ter um príncipe e vais dançar com ele, Mathilde.
- Sim... (reflexão... sorriso!) ... um dia eu vou ter um prínce. (Tão gira! :-))

Há o Peter Pan, a voar, a voar, com os piratas e a fada pequenina e os meninos, há o Nemo, com papá, tadinho, à sua procura e a menina, tenebrosa, a Darla que ela adora e com quem diz em coro "Fishy! Fishy! Ai ar U sipi? Pic ap!" (leia-se - "Fishy! Fishy! Why are you sleeping? Wake up!"), os Barbapapa, giros giros e educativos, protectores dos animais e do ambiente, a Pantera Cor-de-rosa (incrível como os desenhos bem feitos, bem feitos continuam passados décadas) com todas as suas cenas nonsense, Chicken Little, sim, grande fã do galinho e da pata feiosa e querida e do porco "presuntérrimo" mas sobretudo do alien pequenino, Dumbo com a sua mamã, a Alice no seu país absurdo, os Aristogatos, o que ela viu e reviu estes "miaus", a Dama e o Vagabundo aos beijinhos com spaghetti pelo meio, Shrek e o burro e a princesa Fiona, há sempre uma princesa muito importante, como a Aurora na Dama Adormecida e não a Bela, a Bela vem com o Monstro e tem um vestido amarelo, o pato Donald na Caixinha das surpresas a abrir cadeaux, e o que ela gosta de um cadeau, a lista é interminável.
Quando apenas os Teletubbies lhe interessavam este post teria sido muito mais curto.

Faço os possíveis para ver com ela, para além de ser um momento íntimo e divertido, parece-me que é mais educativo se acompanhado, pelo menos algumas muitas vezes e, claro, apanágio dos pais, já sei muitas cenas de cor.

Há uns dias estavamos a ver a Bela e o Monstro e na cena em que o pai da Bela está em risco de ser internado num hospício, o diálogo seguiu ligeiro.
-Oh! Tadinho do pai da Bela!
- Pois é, coitadinho! Querem interná-lo. O Gaston que é muito parvo e quer casar com a Bela, arranjou maneira de dizerem que o pai da Bela é maluco e vão interná-lo.
- ... Eu não quero internar o papá!

(pausa de contenção de riso)

- Não te preocupes meu amor, não é preciso internar o papá.
- Eu não quero! (ar infeliz, voz de choro)
- Acho que não é caso para tanto, não se vai internar o papá... olha! O pai da Bela também vai conseguir fugir, vai ficar tudo bem vais ver, está bem assim Mathilde?
- Está bem mamã.

All's well that ends well, Shakespeare como eu te entendo!

2 comentários:

Anónimo disse...

O meu pirralho por enquanto é mais Ruca, Noddy e Litlle people mas já vai vendo os 101 dalmátas e principalmente lendo todas estas histórias aqui mencionadas. É girissimo vê-lo a seguir e contar a história que vê na tv depois de a aprender no livro. Por mim opto mais pela leitura e faço questão que ele conheça as histórias escritas, apesar de hoje em dia haver filmes lindissimos! Um beijo enormes para essas duas pérolas aí de casa, lindissimas e parabêns pelo blog e pelo trabalho desenvolvido (desde a Comercial).É bom saber que há pessoas com valor neste país...

beedrill disse...

tão querida a Matilde...
ao ler o teu post relembrei todos os desenhos animados da minha infância...eu adorava a pantera cor de rosa...e já mostrei os moscaoteiros o pequeno dartacão e seus companheiros ao meu filho...eram realmente desenhos animados bem conseguídos...
beijihos