domingo, 16 de setembro de 2007

Zoo - Babel

Quando Deus trocou as voltas da língua à humanidade levando, consequentemente, à interrupção da megalómana construção da Torre que chegaria ao céu, deve ter previsto que Babel atingiria não só o bicho homem mas também a restante bicharada do planeta azul.
Só isto explica que um galo cante uma onomatopeia em França e outra em Portugal. E quem diz o chefe da capoeira, diz as suas dedicadas esposas (são de origem árabe os galos, acabo de me aperceber), a vaca, o pardal, o porco, o cão, etc, etc.
Valha-nos o gato que ainda assim reune as vozes dos vários continentes embora com altura, intensidade e timbre variáveis.

Uma das primeiras palavras que a Mathilde disse, já lá vão mais de dois anos, foi cão e, claro, ão-ão.
A Manon optou pela versão francesa - Waf-Waf.
Waf-Waf?
Sim. Waf-Waf.

E "ladra" com um empenho tal que já nos converteu,à irmã e a mim, tudo fala à cão à francesa cá em casa, agora.
Por vezes entusiasma-se tanto que ganha uma pronúncia alemã, VAF-VAF! Parece que estar a pôr alguém na ordem.

VAF-VAF! Vá e depressinha! Toca a fazer o que eu mando!

3 comentários:

Liliana disse...

Tão querida :)

Psychic disse...

Mas como é que eu ainda não tinha visto este post?... lol. Muito gira :)

Cláudia, a mamã da Daniela disse...

A primeira palavra da Daniela foi "cã" (cão)!